O Rock Rural de Sá, Rodrix e Guarabyra

Sá, Rodrix e Guarabyra foram os primeiros caras a integrarem, com bom gosto e honestidade, o Rock com elementos regionais brasileiros. Essa integração foi tão original e harmoniosa, que deu origem a um estilo, o chamado “Rock Rural”. No post de hoje, vamos conhecer mais sobre esse grupo, liderado pelo genial Zé Rodrix.

Sá, Rodrix e Guarabyra

Hoje abri um livro antigo de Sá, Rodrix e Guarabyra

As aventuras musicais de Sá, Rodrix e Guarabyra começaram muito antes da criação do trio:

Sá, codinome artístico do carioca Luiz Carlos Pereira de Sá (15/10/45 ), já havia começado profissionalmente na música em 1965 quando participou da gravação de uma canção sua “Baleiro”  na voz da cantora e compositora Luli (sim, a mesma autora de “O Vira” dos “Secos & Molhados”).

Rodrix, codinome artístico do também carioca José Rodrigues Trindade (25/11/1947), era o músico mais experimentado dos três. Músico desde criança, tocava vários instrumentos e antes de formar o trio junto com Sá e Guarabyra, foi integrante do “Momento Quatro” e do “Som Imaginário” (banda que acompanhava Milton Nascimento). Venceu em 1971,  o Festival Internacional da Canção com a lendária canção “Casa No Campo”, imortalizada no ano seguinte pela Elis.

Guarabyra, codinome artístico do baiano Guttemberg Nery Guarabyra Filho (20/11/1947). Assim como seu companheiro Zé Rodrix, ele também ganhou o Festival Internacional da Canção, só que 4 anos antes em 1967 com a canção “Margarida”, juntamente com o grupo Manifesto.

Cumpadre Meu

A formação efetiva do trio Sá, Rodrix e Guarabyra se deu por volta de 1971 após a saída de Zé Rodrix do “Som Imaginário”. Entre o fim de 1971 e o primeiro semestre de 1972 eles compõem e gravam as músicas que fariam parte do seu primeiro disco “Presente, Passado e Futuro”.

Ele talvez seja um dos discos mais ricos da música popular brasileira. Logo de início, o ouvinte já é chamado a passear de “Zepelin”, numa suíte sonora impecável conduzido por Rodrix. Daí pra frente seguem perólas como “Ama Teu Vizinho Como A Ti Mesmo”, “Boa Noite” (que Rodrix fez pra filha), e “Primeira Canção Da Estrada”, que dá uma ênfase a galera daquela geração, onde era só pegar uma mochila e cair na estrada.

Nessa música há um verso interessante que é super atual. “Eu tinha apenas 17 anos no dia em que saí de casa, e não fazem mais de 4 semanas que eu estou estrada, mas encontrei tantas pessoas tristes, desaprendendo como conversar…”. É, ou não é, o que vemos muito hoje em dia com todas essas facilidades tecnológicas?

Mestre Jonas

Em fevereiro de 1973 voltam ao estúdio para gravar o segundo disco “Terra”  , com músicas compostas no ano anterior. O grande destaque do disco, sem dúvida nenhuma é “Mestre Jonas”, um rock vigoroso conduzido pelos teclados de Zé Rodrix. A letra faz um paralelo entre a passagem bíblica e o conformismo de algumas pessoas: “Dentro da baleia a vida é bem mais fácil, nada incomoda o silêncio e a paz de Jonas…”.

“Terra”, além desse grande clássico, contêm outras grandes pérolas: “Pindurado No Vapor”, “O Pó Da Estrada” (uma continuação da “Primeira Canção Da Estrada”), e a belíssima “O Brilho Das Pedras/Paulo Afonso” que fecha esse trabalho sensacional e também uma fase no grupo.

Hoje Ainda É Dia de Rock

Logo após o lançamento de “Terra”, Zé Rodrix deixa o trio e sai em uma bem sucedida carreira-solo, que outro dia comento por aqui. Eles voltam a se reagrupar novamente em 1999, e em 2001 lançam o album/dvd “Outra Vez Na Estrada Ao Vivo”, com releitura das músicas dos seus dois primeiros discos, alguns sucessos da dupla Sá e Guarabyra e a velha “Casa De Campo” de Rodrix.

Amanhã

Em 2010 é lançado o disco “Amanhã”, gravado entre maio e novembro de 2008. Infelizmente, este foi o último trabalho do trio, uma vez que o Zé Rodrix faleceu precocemente em maio de 2009.

Por hoje é só amiguinho(a). See you next post!

Assista a seguir “Jesus Numa Moto”. Música inédita que fez parte do DVD de retorno do trio em 2001:

Posts Relacionados

Comments

comments

Denilson Carreiro

Denilson Carreiro é baixista, cantor, compositor e produtor musical na banda Bumerangue Carma.

Deixe uma resposta

4 Shares
Share4
Tweet
+1
Pin