Crítica / Moana – Um Mar de Aventuras

De uns tempos para cá as animações da Disney Animation evoluíram de forma estrondosa. Detona Ralph, Frozen – Uma Aventura Congelante, Operação Big Hero e Zootopia mostraram um nível de criatividade até maior que a própria Pixar, considerada líder em inovação. Moana – Um Mar de Aventuras não decepciona no quesito de qualidade.

Dirigido por Ron Clements e John Musker, dos clássicos A Pequena Sereia, Aladdin, Hércules, O Planeta do Tesouro e A Princesa e o Sapo, é possível ver claramente as características dos trabalhos deles em Moana, seja no visual um pouco caricato dos personagens (as feições faciais enormes de Maui e seu cabelo são engraçadíssimos) ou na história que explora mais uma vez questões como mitos, cultura e divindade.

No filme, Moana Waialiki é uma corajosa jovem, filha do chefe de uma tribo na Oceania, vinda de uma longa linhagem de navegadores. Querendo descobrir mais sobre seu passado e ajudar a família, ela resolve partir em busca de seus ancestrais, habitantes de uma ilha mítica que ninguém sabe onde é. Acompanhada pelo lendário semideus Maui, Moana começa sua jornada em mar aberto.  Onde enfrenta terríveis criaturas marinhas e descobre histórias do submundo.

Assista ao Trailer de Moana – Um Mar de Aventura

A parte técnica da animação de Moana é ótima; é possível sentir o oceano vivo a sua volta. As canções também não deixam a desejar, sempre entrando de maneira conveniente na história, somando de forma grandiosa. Acredite, “How Far I’ll Go” ficará no seu imaginário por muito tempo. Vale lembrar também da ótima interpretação de The Rock. Se você assistir legendado vai poder ouvir seu vozerão cantando “You’re Welcome”.

A jornada de Moana em busca de suas origens e seu lugar no mundo é recheada de referências à cultura Polinésia. Vale lembrar que a personagem não possui nenhum interesse amoroso. Essa é uma inovação e tanto da Disney, nos entregando uma protagonista feminina diferente das princesas que costumamos ver.

Contudo, Moana – Um Mar de Aventuras funciona bem como um elogio aos clássicos, deixando a impressão de que ele poderia ter sido melhor em alguns pontos. Faltou pouco para ele não estar à altura das últimas animações do estúdio no quesito de criatividade dentro da trama. Mesmo com algumas coisas novas, a sensação é a de que já vimos esse filme em algum lugar antes.

Bonito, divertido e tecnicamente fantástico, Moana te entregará ótimos minutos de diversão. Mas não vá esperando que esse seja o maior clássico da Disney da atualidade, pois expectativa demais causa decepção.

 

Nota: 4/5

Posts Relacionados

Comments

comments

André R. Candeias

André R. Candeias - Nerd. Escritor. Pai. Professor. Sou formado em pedagogia e adoro escrever desde quando era criança. Minhas maiores paixões no mundo nerd são os super-heróis, Star Wars, a Terra-Média de Tolkien, Game of Thrones e The Walking Dead. Amo ler Stephen King; ele é meu mestre na arte de escrever. E nos games sou fissurado em Silent Hill e a franquia Soul's.

Um comentário em “Crítica / Moana – Um Mar de Aventuras

Deixe uma resposta

17 Shares
Share17
Tweet
+1
Pin