Brian May – Músicos “Nerds” que você precisa conhecer

“Nerd” é um termo sempre associado às pessoas que: ou são introvertidas demais, e que por esse motivo não conseguem se relacionar, ou pessoas que estudam demais e se esquecem de outras coisas legais que existem no mundo.

Será que um “nerd” pode ser um músico? Será?

Para responder essa pergunta inquietante, vou postar no decorrer dos meses matérias sobre os grandes músicos, que se não fossem músicos, poderiam ter sido brilhantes Cientistas, Físicos, etc.

Apresento para vocês Brian May um Músico Nerd.

Vou começar falando de um cara, que é, nada mais nada menos, PhD em Astrofísica: Brian Harold May, ou simplesmente Brian May, o guitarrista da lendária banda britânica Queen.

Para se ter uma ideia da genialidade de Brian May, ele sempre foi um aluno brilhante, obtendo na época do Ensino Médio, as maiores notas nas disciplinas de Física, Matemática e Matemática Aplicada, posteriormente tornando-se Bacharel em Ciência, com ênfase em Física (com louvores, diga-se de passagem!). Olha que isso não é para qualquer um, principalmente no rígido sistema de ensino inglês. Após esse período, ele começou à defender sua tese de Phd, porém teve que deixar de lado para se dedicar ao Queen. Voltou a defendê-la em 2007. Fraquinho o menino, não?

Além de ser um excelente aluno, Brian também era meio que um Professor Pardal, tanto é que a lendária guitarra Red Special que ele usa até hoje, foi feita por ele juntamente com o seu pai.

Quanto ao seu trabalho com o Queen, é desnecessário mencionar algo. O Queen ocupa um lugar de destaque no Olimpo Da Música. Brian May é considerado pela revista “Rolling Stone” o 26º melhor guitarrista de todos os tempos, dentre os 100 melhores.

Brian May também é membro do Império Britânico. Em 2005 ele recebeu o título de CBE “Commander Of The Most Excellent Order Of The British Empire”, algo como “Comandante Da Mais Excelente Ordem do Império Britânico”, por serviços prestados no campo da Música e por seus trabalhos relacionados à caridade.

Uma história curiosa: No fantástico álbum de 75 “A Night At The Opera”, tem uma música que se chama “39”, que fala sobre o Relativismo (papo de “nerd” malucão!). Deixo o próprio Brian May lhes contar sobre o processo de composição dessa música:

Lembro de ter acordado com uma ideia. Eu estava pensando que muitas pessoas fazem músicas, com o violão, sobre marinheiros fazendo longas viagens. E nunca ninguém tinha feito nada sobre uma nave espacial e o astronauta indo embora. E a historia me pareceu muito atraente. O cara indo embora em uma nave espacial à procura de novas terras. Mas por causa do Relativismo… relatividade geral… efeito de dilatação de tempo, ele vai em velocidades quase como a da luz. Então sua percepção de tempo é muito diferente da de uma pessoa na Terra. Ele volta depois do que acha ser um ano, mas para as pessoas na Terra já se passaram cem anos.”

Para finalizar, deixo vocês com um “workshop” de guitarra apresentado pelo próprio Brian May.

Por hoje é só amiguinhos! See you next post!

Posts Relacionados

Comments

comments

Denilson Carreiro

Denilson Carreiro é baixista, cantor, compositor e produtor musical na banda Bumerangue Carma.

Deixe uma resposta

8 Shares
Share8
Tweet
+1
Pin